280 cristãos mortos em ataques na Nigéria
  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

280 cristãos mortos em ataques na Nigéria

  • 20 de maro de 2019
  • 0 Comentários

Até 280 pessoas foram mortas em comunidades cristãs em vários ataques que ocorreram de fevereiro a meados de março no Cinturão do Meio da Nigéria, de acordo com diversos relatórios da Christian Solidarity Worldwide (CSW), Morning Star News e International Christian Concern (ICC). Militantes destruíram centenas de casas e deslocaram residentes.

 

No último ataque, militantes Fulani mataram 10 cristãos durante a noite de 16 de março no estado de Kaduna, reportou a Morning Star News hoje (18 de março). As mortes seguem a morte de 40 cristãos em pelo menos dois ataques em Kaduna, de 10 a 26 de fevereiro.

 

Enquanto isso, um tribunal regional nigeriano determinou que o governo nacional não conseguiu proteger as vítimas quando o militante Fulani matou 500 pessoas, a maioria civis cristãs, em vários ataques ao Cinturão Meio no Estado de Benue em 2016. O Tribunal de Justiça da Comunidade Econômica da África Ocidental Os Estados (CEDEAO), em 26 de fevereiro, apoiaram os queixosos cristãos e ordenaram que o governo investigasse os assassinatos de 2016, dizendo que o governo evitou "sua obrigação de proteger os direitos humanos da Comunidade Agatu e impedir sua violação".

 

A CEDEAO ordenou que o governo começasse a proteger as comunidades predominantemente cristãs, empregando pessoal de segurança adequado. Mas a CEDEAO não chegou a conceder aos demandantes US $ 13,87 milhões solicitados em danos monetários. Os demandantes incluíram 11 líderes cristãos e o Movimento Contra Ocupação Fulani.

 

Os últimos ataques cercam a 26 de fevereiro a reeleição do presidente nigeriano, Muhammadu Buhari, contra o opositor Atiku Abubakar, que questionou os resultados das eleições no tribunal.

 

Buhari perdeu a votação nos estados do Cinturão do Meio que têm comunidades cristãs substanciais, mas ganhou a reeleição reunindo um número maior de eleitores em comunidades do norte que são majoritariamente muçulmanas, de acordo com os resultados da Comissão Nacional Eleitoral Independente.

 

Últimos ataques

 

O número de mortos desde fevereiro varia entre as agências de notícias, incluindo ataques nos estados de Kaduna, Benue e Zamfara.

 

- Na maior contagem, a CSW informou que 280 pessoas morreram nos ataques de fevereiro e março, incluindo 130 mortes em Kaduna, 120 em Zamfara e 30 nos estados de Benue.

 

"Mais uma vez, estendemos nossos mais sinceros pêsames àqueles que perderam entes queridos na violência em Kaduna, Benue e Zamfara", disse o fundador e executivo-chefe da CSW, Mervyn Thomas, ao divulgar o relatório. "É claro que a cultura de impunidade que envolve esses ataques encorajou os perpetradores. Reiteramos nosso apelo aos governos estaduais e federais para que abordem todas as fontes de violência de maneira rápida, decisiva e imparcial, garantindo que as comunidades vulneráveis ​​recebam proteção." eles precisam tão desesperadamente ".

 

- O ICC documentou 205 assassinatos em pelo menos 60 ataques dos militantes Boko Haram e Fulani em fevereiro. Destes, o Boko Haram matou 126 pessoas, incluindo 83 civis, e militantes do Fulani mataram 79, disse o ICC, mas a contagem não inclui mortes em março relatadas por outros grupos.

 

O governo nigeriano fez pouco para proteger os cristãos, disse a ICC.

 

"Não houve grandes tentativas do governo nigeriano de responsabilizar ou desarmar os Fulani", disse o ICC em 4 de março. "A reeleição do presidente Buhari garante que o governo permanecerá inativo enquanto os criminosos continuam a infligir sofrimento na Nigéria. .

 

"O Cinturão do Meio deve continuar sendo motivo de grande preocupação para todos os interessados ​​no crescimento e estabilidade da Nigéria", disse a ICC.

 

- De acordo com o relatório da Morning Star divulgado hoje, pelo menos 140 cristãos morreram em ataques de militantes Fulani em Kaduna desde 10 de fevereiro.

 

A Portas Abertas classificou a Nigéria em 12º lugar na sua Lista de Observação Mundial de 2019 dos 50 países onde é mais perigoso viver como cristão. Dos 4.136 cristãos mortos em 2018, a Nigéria foi responsável por 3.731, segundo a Portas Abertas.

 

A Nigéria classificou o terceiro "país mais aterrorizado" no Índice de Terrorismo Global de 2018 pelo quarto ano consecutivo.

 

Baptist Press 

 

Olá, deixe seu comentário para 280 cristãos mortos em ataques na Nigéria

Enviando Comentário Fechar :/