Juízes iranianos são acusados de enviar cristãos para “fábrica de tortura”
  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Juízes iranianos são acusados de enviar cristãos para “fábrica de tortura”

  • 14 de fevereiro de 2019
  • 0 Comentários

“O Irã tem sido governado por elites que fundiram o islã linha-dura com a governança. Os cristãos são vistos como uma ameaça à segurança nacional e processados ​​sob esses juízes e então presos na infame prisão de Evin, comumente chamada de ‘fábrica de tortura'”, alerta o relatório da entidade.

Os juízes foram identificados como Mashallah Ahmadzadeh, Mohammed Moghiseh e Ahmad Zargar, todos eles do Tribunal Revolucionário Iraniano.

Desde a fundação da moderna República Islâmica do Irã, que completou 40 anos nesta segunda-feira (11), os cristãos sofrem por serem diversas represálias, como prisões e torturas. Ter uma Bíblia ou participar de cultos pode ser motivo para prisão, como alerta o ICC.

Muitos dos cristãos presos são enviados para a prisão em Evin, localizada no sopé das montanhas de Alborz, nos arredores de Teerã, que tornou-se famosa por ser o local onde o regime detém seus presos políticos. Funcionários da prisão foram acusados ​​de torturar dissidentes políticos e minorias religiosas.

“Os cristãos enfrentaram tratamento degradante e desumano por nenhuma outra razão além da fé. No entanto, apesar dessa intensa perseguição, eles firmemente mantiveram sua fé”, completa o relatório do ICC, assinado pela gerente regional Claire Evans.

 

Gospel Prime 

Olá, deixe seu comentário para Juízes iranianos são acusados de enviar cristãos para “fábrica de tortura”

Enviando Comentário Fechar :/